Buscar
  • accunha

O debate entre biografia histórica e biografia literária

O historiador Francisco Alves Almeida, graduado e doutorado em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), diferencia biografia histórica da biografia literária, afirmando que a histórica não se restringe à vida de uma pessoa, mas a relação desta pessoa com os seus atos e com os fatos. Para ele, ao historiador torna-se necessário recorrer à documentação que imprime um ponto de vista à narrativa e orienta o caminho a percorrer. "O trabalho do historiador necessita de provas em que se apóie e confronta estas provas com outras coletadas durante a sua pesquisa, conotando esse procedimento como um

trabalho rigoroso e científico".

Segundo ele, o historiador recria a vida e restaura o tempo,enquanto na biografia literária, o autor não se fixa apenas na documentação, mas pode deixar a imaginação fluir recorrendo constantemente à ficção, tornando sem dúvida sua narração mais interessante para o leitor, porém mais afastada da realidade. "Nesse caso, o escritor deixaria a sua imaginação livre para propor enredos, diálogos e situações que pouco se relacionariam com o que efetivamente ocorreu", disse Almeida, no seu artigo A biografia e o ofício do historiador, que pode ser acessado aqui.

5 visualizações